g2h

level

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Ronaldo Luis Nazário de Lima

É o maior artilheiro da história das Copas do Mundo com quinze gols
Iniciou seu caminho no futebol pelo Social Ramos Clube do Rio de Janeiro, logo em seguida mudou-se para o São Cristóvão, também carioca, porém foi no Cruzeiro que se profissionalizou e alcançou a fama como atleta no segundo semestre de 1993. Recebeu a alcunha "fenômeno" quando jogava na Itália na Internazionale de Milão.
Índice
Nascido no Rio de Janeiro, Ronaldo chegou rapidamente a Seleção Brasileira, logo com 17 anos, quando atuava pelo Cruzeiro de Belo Horizonte. Sua primeira participação foi em 3 de maio de 2004 no último jogo da Seleção no país antes da Copa de 94, jogo este disputado no Estádio da Ressacada em Florianópolis e que o Brasil venceu a Islândia por 3 a 0, sendo Ronaldo o autor do 1º gol do jogo.
Não chegou a atuar pela seleção naquela Copa que o Brasil venceria, mas logo seu talento chegaria ao mundo. Em 1995 transferiu-se para o PSV dos Países Baixos, clube que sempre apostou em brasileiros, onde se tornou ídolo, sendo artilheiro do campeonato local, então era hora de passos maiores.
Sua transferência para o Barcelona da Espanha em 1996 foi recheada de especulações. Logo virou ídolo como o esperado. Era a principal estrela da seleção nas Olimpíadas de 1996, mas depois da eliminação pela Nigéria viveu seu primeiro momento triste na seleção. Ainda assim foi o melhor jogador de mundo nesse ano, impressionando o mundo com sua velocidade espetacular, seus dribles geniais e seus inúmeros gols. No ano seguinte acertou sua complicada transferência para a Internazionale de Milão e mais uma vez brilhou e foi o melhor do mundo pelo segundo ano seguido. Tudo isso com apenas 21 anos. Na Itália ganhou o apelido de "fenômeno"'R9'.

Em 1998 era de longe a estrela da seleção na Copa do Mundo na França. Era cada vez mais ídolo em Milão e ia conquistando maturidade, ganhando simpatia dos brasileiros. Na copa era o principal jogador da seleção, que era franca favorita. Ia confirmando o favoritismo até a final, mas na final tudo mudou. A França tinha um astro, Zinedine Zidane, que anos mais tarde jogaria junto com Ronaldo. Na véspera da final, Ronaldo teve uma estranha convulsão. Ao perguntado se queria ir pro jogo Ronaldo respondeu que sim. E ele foi. E a seleção viu Zidane detonar o sonho de um país inteiro. A seleção fracassava e Ronaldo dava olá a uma série de fracassos em sua vida.
Em 1999 caiu de produção na Inter. Não era o mesmo, principalmente na seleção, mas continuava sendo um dos principais jogadores da liga italiana.
Em 2000 passou provavelmente o pior momento de sua vida. Uma contusão lhe deixou de fora dos gramados quase um ano. Quando voltou estava mal e já estava um pouco acima do peso. Todos tinham lhe dado o fim. A seleção também vinha mal. Perdera a Olimpíada de 2000 para Camarões mesmo com dois jogadores a mais, ira mal na Copa América de 2001 e também ficara abaixo das expectativas nas eliminatórias da Copa

Todos arregalaram os olhos quando o técnico da seleção, Luiz Felipe Scolari surpreendeu ao colocar Ronaldo e não colocar Romário para a Copa. Ronaldo superou todo mundo. Foi o astro da copa, marcou dois gols na final, marcou oito gols em sete partidas, brilhou e se reergueu, calando todo mundo e dando uma lição de vida. Depois numa das transferências mais complicadas dos últimos tempos Ronaldo se mandava pro Real Madrid, que começava a montar uma grande equipe. Novamente foi o melhor do mundo.
Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto ou em notas de rodapé.
Ronaldo marcando um gol contra o Real Bétis.
Quando chegou ao Real, Ronaldo foi campeão espanhol ao lado de Zidane, seu antigo algoz e novo grande amigo. Foi campeão espanhol sendo artilheiro logo na primeira temporada.
Na segunda temporada o Real trouxe mais um grande reforço: o inglês David Beckham. O time recheado de estrelas recebeu o apelido de "galático" e logo começou a desandar. Perdeu o campeonato espanhol e caiu na Liga dos Campeões para o Mônaco da França na temporada 2003 - 2004. Depois viu o rival Barcelona atropelar nas duas temporadas seguintes com Ronaldinho Gaúcho.

Aos poucos Ronaldo foi se ofuscando e se contundindo facilmente. Algumas vezes se destacava. Na seleção costumava jogar melhor, tendo feito bons jogos, principalmente até 2005. Freqüentemente era questionado sobre seu peso, sendo chamado de "gordo". Em 2006 foi convocado a mais uma copa. Chegou a pesar 95 Kg e foi muito criticado, mesmo assim se destacou no jogo contra o Japão e se tornou o maior goleador da história das copas (no jogo contra a seleção de Gana), com 15 gols. Apesar de não ter jogado mal na copa de 2006 (salienta-se que marcou 3 gols na competição, sendo superado apenas pelo alemão Miroslav Klose, que marcou 5 gols e participou em dois jogos a mais) foi extremamente criticado.
Ronaldo trocou o Real Madrid pelo Milan da Itália, em uma das únicas transferências simples de sua carreira. Na Itália fugiu da mídia, mas os resultados nem por isso foram ruins. Foi um dos grandes responsáveis pela boa campanha do Milan, reagindo no Campeonato Italiano e mesmo com uma punição no começo do campeonato conquistando uma vaga na Liga dos Campeões 2007-2008. Em 2007, foi descoberto que seus problemas constantes com a balança deviam-se à um mau funcionamento na glândula tireóide. Após esse diagnóstico, Ronaldo emagreceu muito, sendo chamado até de modelo. No único clássico de Milão contra a Inter que disputou, foi muito vaiado, mostrando o ódio que a torcida adversária tem por ele. Depois da Copa de 2006 nunca mais foi chamado para jogar pela seleção renovada do técnico Dunga.
No dia 13 de fevereiro de 2008, no jogo entre Milan e Livorno, após substituir Gilardino no segundo tempo, Ronaldo em sua primeira participação no jogo, ao tentar subir na área para um cabeceio, acabou se lesionando na hora do salto, saindo de campo em seguida chorando. Foi o mesmo tipo de lesão que teve no joelho direito e quase o impediu de participar da Copa de 2002.

Depois da contusão, o jogador terminou o contrato com a equipe de Milão e se desligou da equipe.
Ronaldo quase foi para o Flamengo em 2009 mas desistiu por falta de projetos.
Após sua saída do Milan, torcedor declarado do Flamengo, Ronaldo manifestou algumas vezes o desejo de defender o Rubro-Negro. O craque chegou a treinar no clube da Gávea a partir de setembro[3] para recuperar-se da cirurgia no joelho, equipe cujo já ameaçava jogar desde 2008, quando o Flamengo estava fazendo propostas para a Libertadores da América de 2008 [4], porem as conversas não seguiram.
Já vários dias no treinamento do Flamengo, ao que parecia ele voltaria ao futebol europeu, onde haviam boatos de sua contratação pelo Manchester City[6], da Inglaterra, e o Paris Saint-Germain[7], da França.
Ingresso para a apresentação de Ronaldo a torcida do Corinthians
A princípio, o interesse do Corinthians na contratação de Ronaldo foi tratado como algo impossível no Parque São Jorge. Numa reunião para falar sobre a permanência de Morais na equipe Alvi-Negra, também empresariado por Fabiano Farah, o assunto Fenômeno surgiu na pauta.
Após vários dias treinando na Gavéa e sem receber nenhum projeto para ficar no clube[8], Ronaldo acabou acertando a sua volta ao Brasil depois de 14 anos [9], mas para jogar pelo Corinthians
Em 9 de dezembro de 2008, o anuncio da contratação do Fenômeno foi feito pelo presidente do Timão Andrés Sanchez através do site oficial do clube[12], e a noticia acabou virando manchete pelo mundo todo[13][14]. Em 12 de dezembro, a diretoria organizou uma festa pela chegada do jogador no clube com a presença da torcida no Estádio Alfredo Schürig[15], com ingressos com o valor de 1 KG de alimento não-perecivel doadoas as Casas André Luiz. O contrato só viria a ser assinado em 17 de dezembro com a presença da diretoria e da imprensa [16].
Ronaldo treinando no centro de fisioterapia do clube, o CePROO
Quase 2 meses após a sua chegada, o jogador seguiu em recuperação Centro de Preparação e Recuperação Osmar de Oliveira, o CePROO, onde se preparou para ter condições de jogo. Já em forma, voltou a jogar em um jogo-treino contra a equipe sub-18 do Corinthians, e inclusive foi o autor de 2 dos 4 gols feitos na partida pela equipe principal [17]. Já em condições técnicas e físicas bem melhores, viajou com o grupo de jogadores no dia 23 de fevereiro de 2009 para sequência de jogos fora da cidade de São Paulo[18] e aguardava o melhor momento para estrear com a camisa do Corinthians. Ronaldo retornou aos gramados oficialmente no dia 4 de março de 2009 na Copa do Brasil, na partida entre Itumbiara e Corinthians no Estádio Juscelino Kubitschek onde Ronaldo substituiu Jorge Henrique e jogou por 27 minutos durante o segundo tempo.
[19][20] O "Fenômeno" marcou seu primeiro gol pelo Corinthians no clássico contra o arquirival Palmeiras, em 8 de março de 2009, aos 47 minutos do segundo tempo, após escanteio cobrado por Douglas. No jogo contra o São Caetano o" Fenômeno" jogou o primeiro tempo inteiro e marcou um gol pra virar o jogo por 2x1 que André Santos marcou o primeiro e o "Ídolo da Fiel" marcou o segundo pra virar.No segundo tempo aos 37 min. O Ronaldo foi substituido por Escudero. No jogo contra o Santos o " Fenômeno" jogou bem mais sem marcar nenhuma vez.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Followers

Google+ Badge