g2h

level

sexta-feira, 23 de março de 2012

Messi já

Messi já tinha passado da hora do seu reconhecimento a nível mundial, afinal começou sua carreira ainda menino com apenas sete anos.

Seu nome é Lionel Andrés Messi nascido em 24 de junho de 1987 em Rosário, futebolita argentino que os Brasileiros aprenderam admira-lo por sua bela atuação em campo.
Foto acima Olimpiadas 2008 jogando contra o Brasil.

Na opinião da grande maioria dos especialistas do esporte, sua qualidade técnica, jogadas, velocidade, habilidade na perna esquerda, trabalho de equipe e extraordinária vocação para o gol, o tornam o melhor futebolista do mundo atualmente. Os europeus desde já o comparam aos grandes nomes da história do futebol, como Pelé, Di Stéfano, Maradona, Puskas ou Cruijff.

Começou sua carreira aos 7 anos de idade, no ano de 1994, jogando pelo Newell's Old Boys, da Argentina, seu clube do coração e equipe a qual Diego Maradona jogou na fase final de sua carreira.

Filho de Jorge Messi e Celia Cuccittini, desde criança demonstrava grande apego à bola, a ponto de negar-se a ir às compras com a família quando não lhe deixavam levar alguma bola. Daria seus primeiros passos nas categorias menores do Abanderado Grandoli, um pequeno clube onde os outros membros da família já haviam jogado - o endereço era a quinze quadras da casa dos Messi. Entrou para a equipe após ser chamado pelo velho treinador para completar o time para uma partida. Tinha apenas quatro anos.

Posteriormente, seu pai, Jorge, seria seu treinador na categoria baby do Grandoli. Lionel conseguia se sobressair com garotos de até sete anos. No entanto, o garoto não duraria muito tempo na equipe: os pais o tiraram do clube após não lhes deixarem acompanhar um jogo do filho por falta de dinheiro para pagar os ingressos. Quando completou sete anos, ingressou então nas divisões menores do clube do coração, o Newell's Old Boys.

Ainda assim, não se contentava em jogar na Lepra, jogando regularmente futebol na rua da casa ao lado dos irmãos mais velhos Matías e Rodrigo Messi e dos primos maternos Emanuel e Maxi Biancucchi Lionel àquela altura conseguia jogar contra adversários de dezoito anos.

Porém, com onze anos detectou-se um problema hormonal que retardava o desenvolvimento ósseo de Messi e, consequentemente, seu crescimento. Por um ano e meio, o tratamento de 900 dólares mensais, que consistia em injeções alternadas em cada perna toda noite, foi custeado pela fundação onde seu pai trabalhava, até que a fonte secou. Como o Newell's não quis custear a continuação do tratamento, o pai ofereceu o filho ao River Plate.

O interesse do clube da capital fez com que o Newell's voltasse atrás, mas de forma insuficiente, oferecendo duzentos pesos ao mês.
Messi foi integrado ao time principal na temporada 2003-2004, com apenas dezesseis anos, debutando em um amistoso contra o Porto, na inauguração do Estádio do Dragão, em 16 de novembro de 2003. O primeiro jogo oficial, porém, viria quase um ano depois, na temporada seguinte. Foi no clássico contra o Espanyol, em 16 de outubro de 2004. Tornou-se na época o mais jovem jogador do time em partidas oficiais, tanto pelo futebol espanhol quanto pela Liga dos Campeões da UEFA - marcas que posteriormente seriam batidas por Bojan Krkić, em 2007. O primeiro gol viria contra o Albacete, já na temporada seguinte, em 1º de maio de 2005.
Até então, Messi era desconhecido do público argentino, mesmo já descoberto pela mídia de seu país natal: um jornalista da revista El Gráfico, que preparava uma reportagem sobre talentos precoces da América do Sul levados pelos europeus, impressionou-se com depoimentos sobre Messi, o que o levou a entrar em contato com Rexach. Após descrença por parte da revista, cansada de "novos Maradonas" que não vingavam, o repórter conseguiu que o pai de Messi enviasse vídeos do filho, que finalmente convenceram a redação, logo publicando uma nota sobre o jovem, ainda em 2003, onde Rexach previa que em dois anos o garoto já seria uma superestrela mundial.
“Messi é um génio, tem tudo. Por um lado, é muito habilidoso e inteligente em campo, com um pé esquerdo semelhante ao de Maradona. Por outro, tem também coisas de Bobby Charlton, pois é um cavalheiro do qual nunca escutarás nada de negativo, nem dentro nem fora dos relvados” Franz Beckenbauer
Com todo o assédio por ser o melhor jogador de futebol da atualidade, Messi sempre aparentando ser uma pessoa extremamente quieta, reservada, certas vezes tímida e bastante humilde isso faz ele ser uma pessoa ainda melhor que muitos outros jogadores.





Assista ao video do melhor jogador que está a caminho de se tornar um dos maiores jogadores de todos os tempos - senão o maior.

Parabéns Messi, você merece todos os créditos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Followers

Google+ Badge